15 de março de 44 a.C: “Até tu, Brutus!”

Assassinato de Júlio César

O que restará de você na história daqui a dois mil anos? E do nossos governantes atuais? Esses que têm seus nomes estampados nos jornais em letras garrafais, por serem os mandantes do momento. Em 4000, se é que o mundo chegará a tanto, quantos linhas para falar de Bolsonoro, Lula, Getúlio Vargas, Dom Pedro? E até mesmo Obama, Stalin, Churchill ou Hitler ainda serão os marcos civilizatórios, para o bem ou mal, que temos hoje?

Se olharmos para os dois últimos milenários, quantos nomes realmente são de conhecimento mundial? E mesmo os que estão nesta lista, o que realmente sabemos deles? Antes de Jesus Cristo então, só conhecimentos vagos e deduções de biografias póstumas. Egípcios, gregos, Macedônios, Neandertal, Dino da Silva Sauro, há mais lendas que história de verdade.

O primeiro sobre o qual a documentação é bastante extensa (e às vezes contraditória, atestando assim sua verossimilhança, é este que transformou a República Romana num Império. Seus feitos militares foram dignos de tantos registros, tanto da parte de seus admiradores quanto de seus adversários, que atravessaram os anos.

Em 15 de março de 44 antes de Cristo, furado dezenas de vezes num atentado premeditado até por seu filho adotivo, ele “saia da vida para entrar na história”. Aqui, já foram várias dicas, e todo mundo já adivinhou o personagem de nosso conto de hoje. Mas em 15 de março de 2021, nos Cabeças da Notícia, foram 4 minutos e 46 segundos antes de pronunciar o nome de…