3 de março de 1847: nasce (um dos) pai(s) do telefone

Em 3 de março de 1847, felicidade em Edimburgo, a capital da Escócia, na casa dos Bell. Nasceu um filho, que como é de tradição na família, vai se chamar Alexander. A diferenciação se faz no nome do meio. O dele será Graham. Além do primeiro nome, os Bell também compartilham a mesma profissão: elocucionalistas, ou seja professores da bela e bem pronunciada fala. Avô, pai e tio do Graham são especialistas na área. Ao contrário da mãe, que é surda!

Da Escócia aos Estados Unidos passando pelo Canadá, Alexandre Graham Bell vai excursionar e se interessar cada vez mais pela parte de invenções, mas sempre ligadas à voz e logo à transmissão dela. E chegar ao topo da pesquisa: o telefone! Graças a seu sogro americano (sua esposa, como sua mãe, tinha deficiência auditiva e de fala), ele vai poder registrar patente e logo fundar não só uma mas várias “companhias Bell” algumas ainda líderes de seus setores no mundo atual. No entanto… ele não é o único pai do telefone.

Afinal, pai é quem gera ou quem cuida? O Congresso dos Estados Unidos demorou mais de século mas, em 2002, riscou o nome de Alexandre Graham Bell como inventor do telefone, e o substituiu por Antonio Meucci, um italiano radicado nos Estados Unidos. Ele o chamava telettrofono e apesar de ter também outras patentes em seu nome, não foi exatamente para ganhar dinheiro que trabalhou na engenhoca.

Sua esposa sofria de reumatismos, e não podia sair de sua cama, no segundo andar da casa estreita onde moravam em Staten Island, no estado do Nova Iorque. Quando precisava de algo, batia com uma bengala num dos canos da casa, mas seu marido precisava subir para tomar conhecimento do pedido, e dobrar a viagem para buscar a água, o biscoito ou o jornal pedido.

Como aconteceu com várias outras invenções da segunda metade do século XIX, foi a necessidade que deu à luz o telefone. Estávamos em 1860. Então por que foi somente 16 anos mais tarde que a engenhoca foi exposta na Filadélfia? E porque foi Alexandre Graham Bell, que chegou a frequentar o laboratório de Meucci, que ficou rico com ela? E, cargas d´água, o que Dom Pedro II, Imperador do Brasil, tem a ver (e muito) com o sucesso dela?

É só conferir nos Cabeças da Notícia de 3 de março de 2021 >